Rede social oferecerá programação própria a partir de junho

Ainda não é oficial, mas em uma entrevista ao jornal El País,  o vice-presidente do Facebook, Dan Rose, contou alguns detalhes do novo projeto que pretende captar a audiência com conteúdo audiovisual e também na televisão.

“Consideramos que há um perfil de usuário que usa o Facebook que não pode parar para ver os vídeos durante o dia. Estamos trabalhando num aplicativo para que seja visto na Apple TV, por exemplo. Achamos que é interessante que os usuários guardem os vídeos encontrados dentro do Facebook e os vejam depois na televisão. A aba é mais uma forma de inspirar quem produz vídeos a torná-lo mais longos. A pensar neles não tanto como algo que serve para promover algo, e sim como uma maneira de impulsionar a comunidade”, disse Rose.

Com isso, o Facebook passará a competir com a Amazon, o YouTube e o Netflix, que já produzem conteúdo de qualidade para as suas plataformas. A Apple também anunciou dois programas, mas ainda sem data ainda definida de lançamento.

O Facebook espera estar pronto para começar a transmitir já no mês de junho com cerca de 20 de programas, com dois enfoques diferentes. Serão atrações de qualidade, com alto custo de produção, semelhantes ao que se vê na TV paga, mas com episódios mais curtos, entre cinco e dez minutos cada um, completando em seu conjunto 24 horas de programação contínua.