Um mês após Campbell Brown, diretora do Facebook responsável pelo relacionamento com empresas de mídia, confirmar a inclusão de notícias pagas na rede social, Mark Zuckerberg escreveu sobre o assunto em seu perfil.  Em um post publicado nesta quarta-feira, dia 23 de agosto, o CEO informou que a empresa vai começar a testar novas formas de ajudar as organizações de mídia a aumentar as suas assinaturas.

“Se as pessoas assinarem depois de ver notícias no Facebook, o dinheiro vai diretamente para os publicadores que trabalharam duro para descobrir a verdade”, escreveu Zuckerberg, garantindo que a rede social não vai ter acesso a esse dinheiro.

Ele só não explicou como isso mudará a experiência dos usuários.  Entretanto, Campbell Brown já tinha comentado que parte do conteúdo que circula no Facebook ficará fechado para o acesso somente de usuários pagantes.

De acordo com Zuckerberg, os testes serão abertos no final do ano com um grupo pequeno envolvendo veículos americanos e europeus. Não há prazo para a expansão, o CEO comenta apenas que usará esse período de testes para colher opiniões.

Confira a postagem na íntegra:

“Passei muito tempo ao longo do último ano, com as organizações de notícias, para falar sobre como podemos trabalhar melhor juntos. Como mais pessoas obtém mais notícias locais com o Facebook, temos a responsabilidade de criar uma comunidade informada e ajudar a construir um entendimento comum.

Não podemos fazer isso sem jornalistas, mas também sabemos que as novas tecnologias podem tornar mais difícil para os editores financiar o jornalismo em que todos confiamos. Para ser um parceiro melhor para a indústria de notícias, nós começamos a Facebook Journalism Project. O nosso objetivo é trabalhar mais de perto com o lugares para desenvolver produtos como artigos instantâneos e ferramentas para os jornalistas para as suas histórias.

Também estamos trabalhando com editores, investigadores e universidades para ajudar as pessoas a tornarem-se mais informadas sobre as notícias que leem online. Como parte disto, vamos testar novas formas de ajudar as organizações de notícias a aumentar as suas assinaturas. Se as pessoas se subscrever depois de ver histórias de notícias na rede social, o dinheiro vai diretamente para editores que trabalham duro para descobrir a verdade, e o Facebook não aceita um corte. Estamos a planear começar com um pequeno grupo de editores americanos e europeus mais tarde este ano e vamos ouvir os seus comentários.

Também estamos fazendo uma atualização esta semana para ajudar mais pessoas a verem onde é que as notícias que leram no Facebook vêm. Agora, quando as pessoas procuram um artigo ou veem um que é popular, eles também verão os logotipos do editor ao lado do artigo. Esta atualização veio de conversas que tivemos com editores de notícias em todo o mundo.

Eventualmente, o nosso objetivo é colocar o logotipo de um editor ao lado de todos os artigos de notícias no Facebook para que todos possam entender mais sobre o que estão lendo. Dar uma voz às pessoas não é suficiente sem ter organizações dedicadas a descobrir novas informações e a analisá-la. Vamos continuar a fazer experiências com diferentes formas de apoiar a indústria de notícias e garantir que os jornalistas e editores em todo o lado poderão continuar a fazer o seu importante trabalho”.