O Rio de Janeiro ganhou nesta semana uma unidade do YouTube Space. O novo prédio, localizado no Porto Maravilha, foi apresentado nesta segunda-feira, dia 7 de agosto, para a imprensa. O lugar conta com equipamentos de última geração em instalações modernas distribuídas em um espaço de 3 mil m².

O Rio de Janeiro é a 10ª cidade do mundo a contar com o espaço exclusivo do YouTube. A empresa não revela o valor do investimento para equipar o lugar, mas afirma que o gasto foi maior do que nos spaces de São Paulo, Los Angeles, Nova York, Londres, Tóquio, Paris, Toronto, Mumbai e Berlim.

A ideia é tirar os youtubers de casa e transformá-los em profissionais de criação e produção de vídeo. O espaço é aberto e gratuito para criadores com a partir de mil assinantes, que podem se inscrever em aulas que vão desde como rentabilizar os seus canais a lidar com o público, oratória, como editar vídeos ou explorar as possibilidades de realidade virtual.

Os youtubers com mais de 10 mil assinantes têm acesso a qualquer um dos três estúdios que recriam até uma rua típica do centro do Rio de Janeiro com um bar, uma galeria de arte e uma loja de discos. Para os canais dedicados à beleza, existe até uma sala de maquiagem com câmeras integradas aos espelhos capazes de transformar um tutorial caseiro de como usar um delineador em uma aula profissional.

Painel de led e ilhas de edição

A unidade carioca oferece ainda o suporte de uma equipe técnica para a gravação dos vídeos, câmeras 4k, câmeras de cinema, câmeras 360º, e captação de áudio com o equipamento mais avançado do mercado. Um dos destaques do espaço principal é o enorme painel de LED contínuo com 7 metros de largura por 5 de altura. É o primeiro da marca Sony com essas dimensões a ser vendido em todo o mundo.

As ilhas de edição são uma das áreas mais disputadas pelos visitantes. Elas são equipadas com computadores da Apple com diferentes possibilidades de finalização. O conteúdo, geralmente gravado em casa, pode ser trabalhado com ferramentas como Avid, Final Cut e After Effects. Somadas, as licenças desses programas custam quase R$ 3,9 mil ao ano.

Outro destaque do lugar é uma dupla de “controles” para transmissão de conteúdo ao vivo pela internet. Durante a transmissão, os criadores têm câmeras à disposição e podem escolher o que será exibido ao vivo e o que será guardado para mais tarde.

O estúdio maior, de 180 m², pode reproduzir diversos cenários. O local conta com um sistema de ventilação de baixo para cima, além de isolamento térmico na cobertura, trocadores de calor e iluminação com sensores de presença.

Ficou curioso? Assista ao vídeo de divulgação do YouTube Space Rio: