Facebook cria rede social para concorrer com LinkedIn

Crédito: Reprodução Facebook

Depois de comprar o Instagram por 1 bilhão de dólares e também o WhatsApp por mais de 22 bilhões, Mark Zuckerberg anunciou que lançará o Facebook at Work, ferramenta para relacionamentos empresariais que vai concorrer com o LinkedIn.

Lançado em 2003, nos Estados Unidos, o LinkedIn conta com 347 milhões de usuários em mais de 200 países. A página tem atualmente 21.4 milhões de acessos só nos Estados Unidos. De olho nesta fatia do mercado, o Facebook lançará em breve a sua página corporativa. De acordo com a empresa, o Facebook at Work será uma mistura de LinkedIn com Yammer, famosa rede social de recursos humanos.

Em entrevista à agência de notícias Reuters, o diretor de parcerias globais de plataformas da rede social, Julien Codorniou, apontou que o Facebok At Work deve funcionar da mesma forma que o site tradicional. “Eu diria que 95% do que foi desenvolvido para o Facebook também funciona no At Work”, resumiu.

Crédito: Reprodução Facebook
Crédito: Reprodução Facebook

Apesar de não ter sido lançado oficialmente, o serviço já conta com uma página de ajuda na rede social. De acordo com as publicações, o perfil profissional não será vinculado ao pessoal, sendo visível apenas para colegas de empresa. As informações do perfil não serão editáveis e deverão ser fornecidas pelo administrador da empresa, que tem acesso a várias estatísticas sobre o uso da rede.

Os usuários poderão, inclusive, ligar os perfis profissional e pessoal. No entanto, ainda não há detalhes de como o sistema funcionará. O Facebook At Work também trabalhará na divulgação de informações da empresa, e os funcionários serão capazes de criar grupos ou eventos, além de enviar arquivos.

Mais de 300 empresas já estão testando a versão beta do produto e alguns, como a Heineken e Banco Real da Escócia, que já se comprometeram a implantar o Facebook at Work para o uso de todos os seus funcionários. A princípio, a plataforma deve ter os mesmos recursos da rede social comum, como feed de notícias, Facebook Messenger e a opção de curtir posts, fotos e vídeos, com adição de recursos de segurança exclusivos. O serviço deve chegar para usuários e empresas no início de 2016.

O uso do Facebook at Work será gratuito, mas a empresa poderá eventualmente cobrar pelo suporte adicional, analítica e integração com outras ferramentas de cloud e colaboração empresarial, como o Microsoft Azure, Office 365, Google Apps, Box, Dropbox, entre outros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.