O que é tráfego pago e como ele pode alavancar seu negócio

Saiba como o que é tráfego pago, como funciona e dicas para trabalhar com campanhas de anúncios.

O que é tráfego pago?

O tráfego pago consiste em investir em plataformas e sites que mostram o conteúdo de forma destacada para os usuários. Você pode criar um anúncio publicitário, por exemplo, que irá aparecer para determinado segmento de público mesmo que aquela pessoa não faça parte da sua audiência anteriormente.

Ele tem esse nome porque demanda que você realize um investimento para conseguir atingir essas pessoas. Já o tráfego orgânico acontece quando os visitantes chegam na sua rede sem serem influenciados por um anúncio pago, vindos através de um conteúdo ou uma solução que você tenha postado na sua rede social, ou ainda por indicação de alguém.

Tráfego orgânico ou tráfego pago?

Qual é o melhor: o tráfego orgânico ou o pago? Depende. As duas são estratégias diferentes para alcançar a tão sonhada presença digital, entretanto elas são complementares e, quando combinadas, podem representar uma grande melhoria nos seus resultados.

O tráfego orgânico não depende apenas de um investimento financeiro, mas também de investimento de tempo e de conhecimento. Um dos grandes pilares para atingir bons resultados é produzir conteúdo de qualidade e com constância, o que vai demandar energia da sua equipe (caso você já tenha uma). Outro ponto importante nessa estratégia é estudar sobre SEO e sobre as particularidades da distribuição de conteúdo em cada plataforma.

O tráfego pago é uma maneira de alavancar os seus resultados através dos anúncios para pessoas fora da sua base de seguidores. É uma maneira de crescer de forma muito mais rápida do que ocorreria apenas com a estratégia orgânica, uma vez que você consegue atingir muitas pessoas dentro do seu público-alvo, que não necessariamente já conhecem a sua marca.

Como o tráfego pago funciona e por que investir nele?

Um dos grandes motivos para se investir em tráfego pago já foi mencionado anteriormente: crescer de maneira mais rápida. Mas vamos conversar um pouco mais sobre como funciona o tráfego pago para entender como isso acontece.

No tráfego orgânico você depende de que a pessoa esteja procurando algo relacionado à sua marca naquele momento e, por isso, começou a consumir conteúdos sobre o assunto através de sites ou redes sociais. Caso esse indivíduo faça uma pesquisa no Google sobre uma palavra-chave específica, é preciso que o seu site esteja bem ranqueado para essa palavra apareça no topo. Se o usuário estiver procurando em uma rede social, de forma semelhante, o seu perfil precisa ser um dos primeiros a aparecer.

É comum também que esse visitante chegue através de uma recomendação até a sua marca. A indicação não depende apenas que outras pessoas conheçam você, mas também que entre todos os perfis sobre esse assunto, esse visitante se lembre do seu e resolva comentar deliberadamente com alguém sobre isso.

Para aumentar a probabilidade de que sua marca seja indicada por outros indivíduos que a conhecem, existem também estratégias específicas que podem ser utilizadas, como o chamado de marketing de indicação. E assim como as demais estratégias envolvendo o tráfego orgânico, ela pode ou não ser complementar ao tráfego pago.

O tráfego pago permite que, mesmo não cumprindo os requisitos anteriores, você tenha a chance de ser encontrado. Isso porque o seu anúncio está relacionado com as palavras- chaves buscadas. E, mesmo a sua marca não tenha sido encontrada de forma orgânica, ainda sim você pode interagir com aquela pessoa já se demonstrou interessada. Assim, é possível que ela esteja aberta a conhecer mais sobre as suas soluções.

Outro fator interessante é que o tráfego pago aumenta a porcentagem de conversão, justamente porque o anúncio é redirecionado para alguém que já está pesquisando sobre assuntos relacionados e pode estar em um nível de consciência avançado em relação ao problema que deseja resolver.

Além disso, esse recurso não precisa ser usado de forma constante. Você pode definir quando utilizar essa estratégia sem o compromisso de pagar por um período fixo, tudo é extremamente personalizável. Por exemplo, você está prestes a fazer o lançamento da sua marca e quer que ela tenha mais visibilidade, então é possível definir que o anúncio esteja ativo até a data do lançamento. Ou ainda você está fazendo uma promoção e acredita que isso trará clientes momentâneos pelo preço baixo, mas que eles podem ser convertidos em clientes fiéis depois de conhecer o seu produto.

Como fazer um bom tráfego pago?

Não é só porque se trata de uma ferramenta paga que magicamente será bem-sucedida. É necessário lembrar que o tráfego pago faz parte de uma estratégia, sendo preciso definir alguns aspectos para a criação do anúncio.

Vamos deixar aqui algumas perguntas para você responder e que irão guiá-lo nessa criação.

1. Qual o seu principal objetivo?

Como dissemos anteriormente, pode ser que o seu objetivo seja anunciar o seu lançamento para o maior número possível de possíveis compradores. Pode ser que você queira fazer um anúncio para que as pessoas conheçam o seu conteúdo e comecem a fazer parte da sua base de seguidores. Pensando no seu objetivo, você vai conseguir responder de maneira mais clara as próximas perguntas.

2. Quem é o público-alvo do anúncio?

Pensar em faixa etária, se você quer atingir preferencialmente pessoas de um gênero específico ou onde elas estão geograficamente ajudará no processo de criação do seu anúncio e na segmentação do seu público na própria plataforma que você optar por utilizar.

3. Quais as palavras-chaves levam até a minha marca?

Também já comentamos que o anúncio bem direcionado é aquele que atinge pessoas que já possuem interesse em assuntos correlatos com a sua marca, aumentando a taxa de conversão. Por isso, é importante saber quais são as melhores palavras-chaves relacionadas ao seu mercado. Você pode utilizar ferramentas, como o Semrush ou o Google Trends para entender quais são as suas melhores opções.

Quais são as principais plataformas para tráfego pago?

Google Ads

O Google Ads é a ferramenta que permite que o seu anúncio apareça bem posicionado na busca no Google. Para utilizar a ferramenta você precisará seguir alguns passos dentro da plataforma para indicar o seu objetivo, segmentar o seu público geograficamente e criar o seu anúncio, sendo importante considerar a palavra-chave que será utilizada nesse momento.

Algo interessante é que você irá definir o orçamento ao final do processo, sendo esse o valor máximo que poderá ser gasto nos seus anúncios. Será descontado o pagamento por clique desse valor total, ou seja, você só será cobrado, caso alguém se interesse e clique no anúncio. Se o orçamento for atingido, o anúncio é desativado. Mas você também pode desativá-lo a qualquer momento.

Youtube Ads

Os anúncios do Youtube são sempre em vídeo e aparecem durante os vídeos de produtores de conteúdo que estão com a ferramenta de monetização ativada. Você precisará selecionar uma série de características para o seu anúncio, como localização, idiomas, gênero, idade, entre outros. Essas escolhas podem afetar o custo por visualização, ou seja, o preço que você irá pagar por cada pessoa que visualizar o seu anúncio.

Assim como no Google Ads, você também irá definir um orçamento que servirá como teto de gastos para aquele anúncio.

Instagram Ads e Facebook Ads

Os anúncios feitos no Instagram e no Facebook são extremamente parecidos, sendo ambos realizados através da mesma plataforma. Para publicar um anúncio no Instagram é necessário, inclusive, que o perfil desta rede social esteja vinculado a uma conta no Facebook.

Para criar o anúncio em ambas as redes você precisará indicar o objetivo da campanha, segmentar os interesses do público, a idade, gênero e idioma, assim como nas demais redes.

Um grande diferencial frente às outras plataformas é a possibilidade de criar anúncios em diferentes formatos: feed, vídeos ou stories. Sendo possível optar por um único formato ou criar diferentes anúncios, cada um com um formato diferente.

Vale lembrar também que o Instagram é uma rede social que atrai o público mais jovem. Então, caso esse seja o seu público, escolher essa plataforma ao invés de anunciar no Facebook pode ser uma boa opção. Mas, atenção: o contrário também é uma verdade. Se o seu público é de uma faixa etária com mais idade, vale considerar investir em anúncios apenas no Facebook ao invés de dividir o seu orçamento entre as duas plataformas.

Ficou interessado em saber mais sobre anúncios? Dá uma olhada no nosso artigo sobre como escrever anúncios para vender pelo Instagram.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.